segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Parte I - À beira da catástrofe.

Faltam menos de 10 dias para o possível desastre...

Será que o Brasil vai votar em alguém que...

*NUNCA disputou uma eleição?

*Que teve sua principal assessora e sucessora envolvida com crimes graves de corrupção?

*Que teve em sua campanha, da parte do grupo de seu principal assessor - Fernando Pimentel, a formação de dossiês contra o partido adversário com o uso de SIGILOS FISCAIS de modo completamente perigoso e ilegal. (E é importante lembrar que isso foi feito há poucos meses e incluiu até a filha do seu adversário)?

*Que é suspeita de mandar montar dossiês contra governos anteriores usando do espaço público (a Casa Civil, para ser mais preciso)?

*Que terá em seu governo Antonio Palocci, o responsável pela ação truculenta e desproporcional jamais vista nesse país de quebra do sigilo bancário de um coitado que trabalhava como caseiro?

*Que pertence ao partido fundador do Foro de São Paulo, que abrigou simultaneamente grupos narcoterroristas e sequestradores como FARC (que ASSASSINOU CENTENAS DE PESSOAS nos últimos 20 anos e sequestrou outras MILHARES, portanto mais do que os militares fizeram no Brasil em mais tempo e num país muito maior), o MIR e outros?

*Que é aliada e, junto com todos de seu partido, dá sustentação ao ditador Hugo Chavez no país vizinho. (E, ressalte-se, não é um momento de brincadeira o que estamos, pois o tal caudilho já começou a prender opositores políticos, como ocorreu com o líder da oposição Alejandro Peña Esclusa, sem contar a morte do agricultor Franklin de Brito nas mãos do estado venezuelano)... E VOCÊ, brasileiro, será no dia 3 de outubro, CÚMPLICE da PRISÃO de inocentes?

*Que foi responsável como ministra da Casa Civil pela produção e publicação final do PNDH-3, o projeto de lei mais grotesco já produzido por um governo na história desse país, que inclui risco grave a propriedade privada, cerceamento a liberdade de imprensa, cerceamento do direito de culto em casos onde a religião não aceite defender o homossexualismo ou outros fetiches sexuais, defesa de legislação em favor do assassinato financiado pelo sistema de saúde pública de pessoas de 0 a 9 meses ainda não nascidas (e ela é responsável, como ministra chefe da Casa Civil na época, a menos que se declare gravemente INCOMPETENTE - e, nesse caso, SAFADO e PALHAÇO seria aquele que é capaz de votar em alguém tão incompetente a ponto de não se responsabilizar com projetos de tamanha magnitude, representando tantos perigos, mexendo com tantas áreas que passa pela pasta sob a responsabilidade de tal pessoa)?

*Também voltará a ter grande poder em seu governo o seu querido amigo, e auto-proclamado camarada em armas, José Dirceu, que antecedeu a ela na Casa Civil!?

*Que participou e apoiou grupos maoístas, leninistas e stalinistas sem jamais ter feito qualquer mea culpa. (E os grupos em questão perseguiram inocentes por décadas, prenderam e assassinaram mais de 100 milhões de pessoas no século XX)?

*Que fez isso financiada por governos INTERNACIONAIS com a intenção de implantar uma ditadura contra nosso povo. E até hoje afirma ter orgulho dessas participações contra o Brasil. (Qualquer questionamento quanto a isso, só aceito provas, discursos de tal pessoa afirmando arrependimento contra crimes graves como esses)?

*Que foi cúmplice de assassinatos, assaltos, justiçamentos, explosões terroristas. Sem jamais isso ter tido qualquer relação com liberdade ou democracia, já que nunca defendeu liberdade para os povos dos países que financiavam seu projeto marxista-leninista?

*Que participa de um grupo que diz abertamente que pretende cercear a mídia e nada faz contra isso, nada questiona, pelo contrário, os que propõem o cerceamento continuam com cargos, incluindo casos em que tem o filho envolvido com tráfico de influência, como o caso do Franklin Martins?

*Que é acusada por uma secretária de estado de ter feito tráfico de influência em favor do senador José Sarney, mas que dá 3 versões sobre o mesmo caso em 2 dias e foge de acareação?

*Que nomeou a esposa do narcoterrorista Olivério Medina, das FARC, tendo em vista defendê-lo, conforme o governo colombiano descobriu ao estudar os arquivos do computador apreendido nas mãos de um dos líderes da maior organização criminosa do continente aliada do PT desde o início da década passada na organização chamada Foro de São Paulo?

*Que participou do governo do partido que um dia foi vestal e destruiu reputações sem limites (e muitas vezes de forma criminosa) e depois ajudou Renan Calheiros a pisar no senado federal. Depois fazendo o mesmo com José Sarney?

Seria o cúmulo da irresponsabilidade. Seria o cúmulo da presunção. Seria o cúmulo da burrice (a menos que se refletisse muito sobre questões hoje negligenciadas por toda a mídia dominada, questões que nenhum professor de universidade levanta, que nenhum artista cita, e depois se provasse que esse terror nojento, esse fim do inferno, essa imundície, essa vergonha enfim só tem concorrentes piores e deve receber de presente uma vitória no primeiro turno sem precisar explicar nada, sem precisar brigar com nenhum oponente, sem precisar SE DESMASCARAR sequer junto com aquele que fosse comprovadamente tão ruim ou pior).

Aproveite que ninguém está vendo você ler isso. Ninguém está vendo. Ainda é tempo de você refletir e não querer se meter a sabidão, se meter a dono da verdade, embarcar em chantagens emocionais escondidas no fundo da sua cabeça e recebidas no ginásio ou no ensino médio por professores que nunca estudaram senão apostilas passadas nos cursos de licenciatura de universidades aparelhadas. Fique tranquilo. Ninguém está vendo. Você pode sair dessa prisão. O mundo pode ser melhor do que ser forçado a apoiar a mentira, a incoerência, o crime, a opressão, o cerceamento de liberdades, a chantagem. O mundo é bem mais do que dizem a mídia, seus professores de ensino médio, seus amigos metidos a grande espertos.

 (Essa mensagem é dividida em 3 partes. Não precisa ler além da primeira se achar melhor. Se possível leia a primeira e a segunda. Trato de um caso GRAVE e que tem tudo a ver com sua vida, provavelmente com toda a sua vida e de seus parentes. Não é um escrito de profissional, mas fiz o possível para poder dormir bem com minha consciência de franciscano, pobre e mínimo livre do peso de assistir sem nada fazer ao espetáculo de horror que se avizinha. Nesse sentido também peço desculpas por não poder nem sequer corrigir o referido texto, pois agora além de ter a consciência menos pesada estou com sono e não há mais tempo para algo tão sério esperar.) (Se alguém quiser fazer melhor, me mande, por favor. Ou então melhore esse.) (De qualquer modo, REPASSE ao máximo. Lembre-se que você também pode ser culpado(a) pelo desastre que se avizinha.)

81 comentários:

  1. CARA, VC ESTA PRECISANDO IR A UM PSIQUIATRA...vc acha mesmo que o brasileiro ainda é burro como na era FHC?

    Vai se tratar.

    Outra coisa vc denunciou a CNBB Sul ...vai ter q se explicar la tb, e pq chamou os
    Bispos TL de idiotas... é ruim hein?

    ResponderExcluir
  2. Chamar os Bispos da Teologia da Libertação de idiotas é elogio!
    Meus parabéns. Não desista de lutar.

    ResponderExcluir
  3. Tharsis,discordo de voce.Os bispos da TL nao sao idiotas.
    Sao idiotas e inconseqüentes.

    ResponderExcluir
  4. Beleza de argumentos.

    A surpresa é o fabio de melo...
    Dilmou?
    Talvez "inrrusta" alguma coisa estranha da sexualidade.

    Mas a batalha com o alienado petista foi memorável, embora se note que falou com as pardes.
    Nem diria que jogou pérolas aos porcos
    que os porcos são menos burros do que esse aí.

    ResponderExcluir
  5. Ah, claro, denúncias de SUSPEITAS e ligações com pessoas, realmente um desastre(a crítica). Você deveria saber que suspeitas e ligações políticas são frágeis pois precisam ser acareadas. Não gosta da Dilma, mas minha razão é por me parecer que o PT simplesmente pegou uma pessoa fraca e inventou uma personagem para que ela ganhasse, pois os outros candidatos não seriam tão blindados á críticas por já terem uma longa vida política. Esse fantoche pode ter sido criado ainda para durar apenas 4 anos quando o atual presidente poderá se candidatar de novo.

    ResponderExcluir
  6. "Que foi responsável como ministra da Casa Civil pela produção e publicação final do PNDH-3, o projeto de lei mais grotesco já produzido por um governo na história desse país, que inclui risco grave a propriedade privada, cerceamento a liberdade de imprensa, cerceamento do direito de culto em casos onde a religião não aceite defender o homossexualismo ou outros fetiches sexuais, defesa de legislação em favor do assassinato financiado pelo sistema de saúde pública de pessoas de 0 a 9 meses ainda não nascidas (e ela é responsável, como ministra chefe da Casa Civil na época, a menos que se declare gravemente INCOMPETENTE - e, nesse caso, SAFADO e PALHAÇO seria aquele que é capaz de votar em alguém tão incompetente a ponto de não se responsabilizar com projetos de tamanha magnitude, representando tantos perigos, mexendo com tantas áreas que passa pela pasta sob a responsabilidade de tal pessoa)?"
    *
    *
    Faz-me rir!!!
    "cerceamento do direito de culto em casos onde a religião não aceite defender o homossexualismo ou outros fetiches sexuais"
    Então... a liberdade de religião tem que ser respeitada, mas a liberdade sexual não??? queria saber quem foi que deu esse estato supra-moral à religião que a coloca tão elevada em relação a todos os outros aspectos culturais de uma sociedade?
    *
    "favor do assassinato financiado pelo sistema de saúde pública de pessoas de 0 a 9 meses ainda não nascidas"
    A LEGALIZAÇÃO do aborto é uma necessidade de saúde pública! Negar esse direito é botar em riso a vida de milhares de mulheres! Garantir um acompanhamento médico e psiquiátrico poderia inclusive servir para diminuir o número de abortos, que hoje são realizados de forma clandestina de qualquer forma
    *
    A tá, já que eu penso de forma diferente e não concordo com esses argumentos carregados de preconceito e sectarismo eu sou um "SAFADO e PALHAÇO (...) capaz de votar em alguém tão incompetente"

    ResponderExcluir
  7. "Então... a liberdade de religião tem que ser respeitada, mas a liberdade sexual não???"

    Tipo... Tem algum cristão hoje defendendo a proibição de reclamações, discussões, debates sobre ou contra o cristianismo? Onde você viu isso?

    Você é tão genial, que não entendeu o contexto da coisa quando afirmo que é safado e palhaço aquele que vota em Dilma. É isso quem vota em alguém que afirma ter assinado um projeto de lei que trata de questões graves sem ler. Você não entendeu isso ou finge? Você leu o PNDH-3?

    ResponderExcluir
  8. Sobre a legalização do aborto, talvez você seja muito feminista e acha que como o bebê pode ser do sexo masculino ou do feminino, sendo só 50% de chances de ser mulher, devemos portanto ter a permissão de matá-lo para garantir os caprichos das mulheres que não queiram passar alguns meses sentindo algum incômodo, além de ter que sofrer a possível desonra de colocar um homem no mundo...

    Mas eu penso diferente. Se existe um capricho, um tipo de pensamento na sociedade, de que ficar 9 meses grávida é algo impossível ou inaceitável, então isso deve ser tratado com responsabilidade, com educação, com amor, não com mentira. Acho que as pessoas precisam ter coragem de enfrentar os fatos da vida. Se tu conhece alguma grávida que queira abortar, pergunta porque ela não me dá o filho? Há aí é uma falta de unidade nesse ser humano.

    Se uma vida humana incomoda a outra, não vou jamais defender que se possa eliminá-la. Sem essa...

    Problema de saúde pública!

    ResponderExcluir
  9. você tem provas que ela assassinou centenas de pessoas?
    isso é campanha da oposição para que ela não ganhe.

    ResponderExcluir
  10. Letícia, você sabe ler? Vá aprender a ler primeiro, pelo Amor de Deus...

    Onde está escrito que ela, cúmplice de assassinatos, apologista de milhões de assassinatos, apoiadora exatamente hoje de grupos assassinos ao dar proteção a Olivério Medina, assassinou centenas de pessoas? Ela fez somente pior que isso...

    Mas aprenda a ler. Não é impossível aprender a ler...

    ResponderExcluir
  11. Será que vc leu o PNDH3? Pq eu não achei nada do que vc disse:

    "risco grave a propriedade privada, cerceamento a liberdade de imprensa, cerceamento do direito de culto em casos onde a religião não aceite defender o homossexualismo ou outros fetiches sexuais, defesa de legislação em favor do assassinato financiado pelo sistema de saúde pública de pessoas de 0 a 9 meses ainda não nascidas"

    ... ao contrario, encontrei pontos que achei muito positivos... se vc quiser dar uma olhada ta aqui o link:

    http://portal.mj.gov.br/sedh/pndh3/pndh3.pdf

    e tomo a liberdade de citar alguns pontos do programa:

    "g) Considerar o aborto como tema de saúde pública, com a garantia do acesso aos serviços de saúde. (Redação
    dada pelo Decreto nº 7.177, de 12.05.2010)."

    *

    "Objetivo estratégico V:
    Garantia do respeito à livre orientação sexual e identidade de gênero.
    Ações programáticas:
    a) Desenvolver políticas afirmativas e de promoção de uma cultura de respeito à livre orientação sexual e
    identidade de gênero, favorecendo a visibilidade e o reconhecimento social."

    *

    "g) Fomentar a criação de redes de proteção dos Direitos Humanos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e
    transexuais (LGBT), principalmente a partir do apoio à implementação de Centros de Referência em Direitos
    Humanos de Prevenção e Combate à Homofobia16 e de núcleos de pesquisa e promoção da cidadania
    daquele segmento em universidades públicas."

    *

    "Objetivo estratégico VI:
    Respeito às diferentes crenças, liberdade de culto e garantia da laicidade
    do Estado.
    Ações programáticas:
    a) Instituir mecanismos que assegurem o livre exercício das diversas práticas religiosas, assegurando a
    proteção do seu espaço físico e coibindo manifestações de intolerância religiosa."

    *

    "b) Promover campanhas de divulgação sobre a diversidade religiosa para disseminar cultura da paz e de
    respeito às diferentes crenças."
    *
    "d) Estabelecer o ensino da diversidade e história das religiões, inclusive as derivadas de matriz africana, na
    rede pública de ensino, com ênfase no reconhecimento das diferenças culturais, promoção da tolerância e
    na afirmação da laicidade do Estado."

    *

    "Objetivo estratégico IV:
    Fortalecimento dos instrumentos de prevenção à violência.
    Ações programáticas:
    a) Elaborar diretrizes para as políticas de prevenção à violência com o objetivo de assegurar o reconhecimento
    das diferenças geracionais, de gênero, étnico-racial e de orientação sexual."

    ResponderExcluir
  12. Continuando:


    *

    "Objetivo estratégico V:
    Redução da violência motivada por diferenças de gênero, raça ou etnia, idade,
    orientação sexual e situação de vulnerabilidade."

    *

    "d) Promover campanhas educativas e pesquisas voltadas à prevenção da violência contra pessoas com
    deficiência, idosos, mulheres, indígenas, negros, crianças, adolescentes, lésbicas, gays, bissexuais, transexuais,
    travestis e pessoas em situação de rua."

    *

    "o) Implementar ações de promoção da cidadania e Direitos Humanos das lésbicas, gays, bissexuais, transexuais
    e travestis (LGBT) com foco na prevenção à violência, garantindo redes integradas de atenção."

    *

    "Objetivo estratégico II:
    Resgate da memória por meio da reconstrução da história dos movimentos
    sociais.
    Ações programáticas:
    a) Promover campanhas e pesquisas sobre a história dos movimentos de grupos historicamente vulnerabilizados,
    tais como o segmento LGBT, movimentos de mulheres, quebradeiras de coco, castanheiras, ciganos,
    entre outros."

    *

    "Diretriz 24:
    Preservação da memória histórica e a construção pública da
    verdade.
    Objetivo Estratégico I:
    Incentivar iniciativas de preservação da memória histórica e de construção
    pública da verdade sobre períodos autoritários."

    *

    "Proteção do direito a tratamento igualitário perante a lei
    Direitos Humanos, Direitos de Todos
    Curto Prazo
    78.Propor legislação proibindo todo tipo de discriminação, com base em origem, raça, etnia, sexo, idade, credo religioso, convicção política
    ou orientação sexual, e revogando normas discriminatórias na legislação infra-constitucional, de forma a reforçar e consolidar a proibição de práticas discriminatórias existente na legislação constitucional"

    ResponderExcluir
  13. e finalizando:



    *

    "Crença e Culto
    109. Garantir o direito à liberdade de crença e culto a todos os cidadãos brasileiros.
    110. Prevenir e combater a intolerância religiosa, inclusive no que diz respeito a religiões minoritárias e a cultos afro-brasileiros.
    111. Implementar os dispositivos da Declaração Sobre a Eliminação de Todas as Formas de Intolerância e Discriminação Fundadas em Religião ou
    Crença, adotada pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 25 de novembro de 1981.
    112. Proibir a veiculação de propaganda e mensagens racistas e/ou xenofóbicas que difamem as religiões e incitem ao ódio contra valores espirituais
    e/ou culturais.
    113. Incentivar o diálogo entre movimentos religiosos sob o prisma da construção de uma sociedade pluralista, com base no reconhecimento e no
    respeito às diferenças de crença e culto.
    Orientação Sexual
    114. Propor emenda à Constituição Federal para incluir a garantia do direito à livre orientação sexual e a proibição da discriminação por orientação sexual.
    115. Apoiar a regulamentação da parceria civil registrada entre pessoas do mesmo sexo e a regulamentação da lei de redesignação de sexo e
    mudança de registro civil para transexuais.
    116. Propor o aperfeiçoamento da legislação penal no que se refere à discriminação e à violência motivadas por orientação sexual.
    117. Excluir o termo ‘pederastia’ do Código Penal Militar.
    118. Incluir nos censos demográficos e pesquisas oficiais dados relativos à orientação sexual."

    *

    "Gays, Lésbicas, Travestis, Transexuais e Bissexuais – GLTTB
    240. Promover a coleta e a divulgação de informações estatísticas sobre a situação sócio-demográfica dos GLTTB, assim como pesquisas que
    tenham como objeto as situações de violência e discriminação praticadas em razão de orientação sexual.
    241. Implementar programas de prevenção e combate à violência contra os GLTTB, incluindo campanhas de esclarecimento e divulgação de
    informações relativas à legislação que garante seus direitos.
    242. Apoiar programas de capacitação de profissionais de educação, policiais, juízes e operadores do direto em geral para promover a compreensão
    e a consciência ética sobre as diferenças individuais e a eliminação dos estereótipos depreciativos com relação aos GLTTB.
    243. Inserir, nos programas de formação de agentes de segurança pública e operadores do direito, o tema da livre orientação sexual.
    244. Apoiar a criação de instâncias especializadas de atendimento a casos de discriminação e violência contra GLTTB no Poder Judiciário, no
    Ministério Público e no sistema de segurança pública.
    245. Estimular a formulação, implementação e avaliação de políticas públicas para a promoção social e econômica da comunidade GLTTB.
    246. Incentivar programas de orientação familiar e escolar para a resolução de conflitos relacionados à livre orientação sexual, com o objetivo
    de prevenir atitudes hostis e violentas.
    247. Estimular a inclusão, em programas de direitos humanos estaduais e municipais, da defesa da livre orientação sexual e da cidadania dos
    GLTTB.
    248. Promover campanha junto aos profissionais da saúde e do direito para o esclarecimento de conceitos científicos e éticos relacionados à
    comunidade GLTTB.
    249. Promover a sensibilização dos profissionais de comunicação para a questão dos direitos dos GLTTB."

    ResponderExcluir
  14. é claro que se vc for homofóbico, ou um radical religioso vai ser difícil concordar que as pessoas de opinião diferentes, de opção sexual diferente, tem o direito de viver como bem entenderem e cuidar da sua vida particular sem serem discriminados por isso...

    ResponderExcluir
  15. Pergunta:
    "Você depara com uma mulher em estado hemorragico por ter praticado um aborto, você chama a policia ou a ambulancia?"

    ResponderExcluir
  16. Eu? Chamo os dois se for possível. Até porque é importante saber não só que ela vai viver, o que é óbvio, o que nenhum cristão jamais colocaria em questão, já que feriria um mandamento, o mesmo mandamento que a mulher acabou de ferir. Mas é sempre bom saber quem são as pessoas que estão trabalhando com assassinatos de feto, então é bom que se investigue. Primeiro, obviamente, que a pergunta é ridícula, é pergutna de mente esquerdista, chama-se primeiro, portanto, a ambulância. Depois, chama-se a polícia para investigar.

    ResponderExcluir
  17. Olhá só... vc ta ai....
    então, aproveita e da uma olhadinha... é bem legalzinho e bem diagramado...
    http://www.sejaditaverdade.net/blog2/wp-content/uploads/2010/10/Colocando-na-balan%C3%A7a-low-res.jpg


    e depois, se der, comenta os meus comentário anteriores....

    ResponderExcluir
  18. Radical religioso são todos os cristãos verdadeiros. Porque no Evangelho é muito claro, ninguém pode ser morno. Quem é morno termina trabalhando para gente como você, servindo a mesma causa de gente como você, são ainda piores para Deus, segundo o que Ele mesmo diz. De modo que realmente, se eu quiser ser cristão, terei que ser radical, até o martírio, até gente como você colocar a força policial de um estado na minha vida e me matar pelo fato de eu não concordar em amar menos a Deus.

    Sobre ser homofóbico, não existem homofóbicos. Mas posso dizer que existem canalhas que inventam ou simplesmente repetem sem qualquer reflexão a existência de um fenômeno chamado homofobia. Nunca tive qualquer reação negativa diante de gays. Do mesmo modo praticamente não conheço pessoas que as tenham (talvez por andar quase sempre em ambientes cristãos). Agora se você quer obrigar meu filho a ter aulas de apologia ao homossexualismo, isso é uma torpeza e você é um monstro dos piores, um engenheiro social, um irresponsável. A maioria dessas pessoas são covardes, se negaram a ter experiências de amor na vida, praticamente não estudaram o mínimo do status questiones do que foi produzido em cultura pela civilização ocidental, costumam cultivar o ódio, repetem slogans o tempo todo, sofreram chantagens emocionais em ambientes escolares, etc.

    ResponderExcluir
  19. humm... nenhum cristão colocaria em questão salvar a vida da mulher... simplesmente pq isso ira ferir um mandamento... então a sua boa vontade para com seu próximo é resultado apenas do medo de ser punido... uma atitude admirável com toda a certeza... ah... se der tempo, de uma olhadinha nesse link:
    http://catolicasonline.org.br/

    ResponderExcluir
  20. Ejá q vc tocou no tema dos evangelhos, tenho um pequeno desafio. Meu desafio é simplesmente esse: diga-me o que aconteceu na Páscoa. Não estou pedindo provas. Meu pedido franco é meramente que os Cristãos digam-me exatamente o que aconteceu no dia em que a sua doutrina mais importante nasceu.

    Um crente deve ansiosamente aceitar este desafio, já que sem ressurreição, não há Cristianismo. Paulo escreveu, "E, se Cristo não foi ressuscitado, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé. E assim somos também considerados como falsas testemunhas de Deus que ele ressuscitou a Cristo, ao qual, porém, não ressuscitou, se, na verdade, os mortos não são ressuscitados." (1º Coríntios 15:14-15)

    As condições do desafio são simples e justas. Em cada um dos quatro Evangelhos, comece na manhã de Páscoa e leia até o fim do livro: Mateus 28, Marcos 16, Lucas 24 e João 20-21. Leia também Atos 1:3-12 e a pequena versão de Paulo da história em 1º Coríntios 15:3-8. Estes 165 versos podem ser lidos em alguns momentos. Então, sem omitir nenhum detalhe destes depoimentos separados, escreva uma narrativa simples e cronológica dos eventos entre a ressurreição e a ascensão: o que aconteceu por primeiro, por segundo, e assim por diante; quem disse o que, e onde estas coisas aconteceram.

    Já que os Evangelhos nem sempre dão as horas exatas do dia, é permitido dar chutes educados. A narrativa não precisa tentar apresentar um quadro perfeito--ela apenas precisa dar ao menos um relato plausível de todos os fatos. Explicações adicionais da narrativa podem ser postos em parênteses. A condição mais importante para o desafio, porém, é que nenhum detalhe bíblico seja omitido. Justo o suficiente?

    ResponderExcluir
  21. "Agora se você quer obrigar meu filho a ter aulas de apologia ao homossexualismo, isso é uma torpeza e você é um monstro dos piores, um engenheiro social, um irresponsável."
    *
    Não,não quero obrigar seu filho, nem o filho de ninguém a nada... apenas defendo o direito de cada um viver do modo que desejar e se sentir mais feliz, desde que, é claro, isso não cause prejuízos à ninguém... defendo apenas que as pessoas tem o direito de serem tratadas com respeito, sem sofrerem intimidações, injurias, sem serem tachadas... sabe... coisinhas simples assim... mas infelizmente difíceis de serem aceitas por mentes dogmatizadas...

    ResponderExcluir
  22. Olha só que notícia interessante... legalizar o aborto DIMINUI o número de abortos:

    "Estudos indicam tendência liberalizante do aborto no mundo

    Paula Adamo Idoeta

    Da BBC Brasil em São Paulo


    Ao menos 20 países aprovaram leis de aborto mais liberais entre 1996 e 2009

    A maioria dos países que introduziram mudanças nas suas legislações sobre aborto desde 1996 adotou regras mais permissivas sobre a prática, apontam estudos recentes publicados pelas Nações Unidas e pelo Instituto Guttmacher, especializado em saúde reprodutiva.

    Entre 1996 e 2009, ao menos 47 de 192 países da ONU aprovaram leis com artigos mais liberalizantes, segundo o World Population Policies 2009, da ONU.

    Nesse mesmo período, outros 11 países endureceram suas legislações sobre o tema.

    Dos 47 países que liberalizaram sua legislação, ao menos 21 aprovaram leis com artigos mais liberalizantes que os do Brasil.

    O tema foi apontado por muitos como importante na reta final do primeiro turno das eleições presidenciais brasileiras e responsável por parte do crescimento da candidata Marina Silva, do Partido Verde, contrária à descriminalização do aborto no Brasil.

    A proposta divide o PT, partido da candidata Dilma Rousseff, que no passado pronunciou-se favoravelmente à mudança na legislação. Recentemente Dilma tem dito ser pessoalmente contra a descriminalização. O candidato do PSDB, José Serra, diz ser contra a legalização do aborto no Brasil.

    Liberalizante

    Nos 21 países que adotaram leis mais abertas que as do Brasil, entre as razões em que prática abortiva é autorizada estão o caso de haver má-formação fetal, de a mãe não ter condições socioeconômicas para criar o filho ou de a mãe solicitar o procedimento.

    Mas no panorama geral, em 2009, “quase todos os países permitiam o aborto para salvar a vida das mulheres”, relata o World Population Policies. A permissão ao aborto por desejo da mãe passou a valer em 29% dos países da ONU, ante 10% em 1980.

    Em pesquisa do Instituto Guttmacher, as autoras Reed Boland e Laura Katzive, que se manifestam favoravelmente à descriminalização do aborto, dizem que o motivo da tendência liberalizante é “o reconhecimento do impacto das restrições ao aborto nos direitos humanos femininos”.

    Os países ibéricos são exemplos de liberalização. Em 2007, Portugal legalizou o aborto sem restrições até a 10ª semana de gestação e, depois desse período, em casos de má-formação fetal, de estupro ou de perigos à vida ou à saúde da mãe. Na Espanha, lei com termos semelhantes começou a vigorar neste ano.

    No México, onde a legislação sobre o tema é estadual, a Cidade do México passou a permitir, em 2007, o aborto sem restrições de motivos até 12 semanas de gravidez. Na Colômbia, a Corte Constitucional determinou em 2006 que o aborto é legítimo em casos de estupro, má-formação fetal ou de riscos para a vida da mãe. Até então, a prática era proibida no país.

    ResponderExcluir
  23. (continuando)



    Há ainda países em que o aborto era totalmente ilegal, mas passou a ser aceito nos últimos anos se a mãe correr riscos ou se houver má-formação fetal (caso do Irã) ou de estupro (caso de Togo).

    No mesmo período, Nicarágua e República Dominicana proibiram totalmente a prática, enquanto Argentina, Equador, Nicarágua, Iraque e Japão, entre outros, endureceram suas legislações a respeito, segundo a ONU.

    O Uruguai chegou a aprovar o aborto no Congresso, dois anos atrás, mas a lei foi vetada pelo então presidente, Tabaré Vázquez.

    O México viu movimentos ambíguos nos últimos anos: enquanto alguns Estados se espelharam na capital federal e passaram a ser mais permissivos, outros aprovaram emendas constitucionais punindo a prática abortiva com mais rigor.

    Redução

    Nos últimos 15 anos observou-se uma queda no número de abortos praticados no mundo: de estimados 46 milhões em 1995 para 42 milhões em 2003, segundo os últimos dados disponíveis pela OMS (Organização Mundial da Saúde). A metade deles foi feita de maneira insegura ou clandestina, estima-se.

    Especialistas ouvidos pela BBC Brasil não traçam, porém, paralelos entre a redução no número de abortos e a tendência liberalizante observada em muitos países.

    “Estudos mostram que a chance de uma mulher fazer um aborto é praticamente a mesma onde o aborto é liberado e onde é restrito”, explicou por e-mail Iqbal Shah, do Departamento de Pesquisas e Saúde Reprodutiva da OMS.

    “Diversas pesquisas em países que legalizaram o aborto indicam que a prática pode inicialmente aumentar, mas depois é reduzida. Isso não ocorre por causa da legalização, mas porque abortos que antes seriam realizados clandestinamente passam a ser contabilizados (oficialmente) quando a lei muda.”
    *
    *
    E, eu tbm gosto de citar as fontes das minhas informações:
    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/10/101007_abortolibera_pai.shtml

    ResponderExcluir
  24. Algumas estatisticas:
    http://www.correiobraziliense.com.br/files/app/noticia182/2010/09/06/211655/20100906083511891071i.jpg

    ResponderExcluir
  25. Você é sempre mente abertíssima...

    De onde você tira, que generalização cretina é essa, de dizer que um cristão cuidaria de uma vida só por medo de ser punido? Onde está dito isso? Preconceito ou falta de conhecimento braba?

    Falei que é impossível não fazer, fora de questão, de saída, para todos os cristãos, em qualquer circunstância, conspirar com a morte. Isso não seria feito por medo, mas sim por amor, na maior parte dos casos, por parresia, por coragem, por ter vida de oração, por ter educação.

    Eu mesmo sou cristão e nunca fiz ou deixei de fazer nada "por medo de ser punido"...

    Depois, se eu tiver tempo, vejo suas outras questões. Mas estou muito ocupado.

    ResponderExcluir
  26. Sobre diminuição de abortos após legalização, há outras 1000 pesquisas dizendo o contrário...

    ResponderExcluir
  27. "apenas defendo o direito de cada um viver do modo que desejar e se sentir mais feliz, desde que, é claro, isso não cause prejuízos à ninguém..."

    Ah. Tá certo... Eu também.


    "defendo apenas que as pessoas tem o direito de serem tratadas com respeito"

    Nossa! E eu também. A lei brasileira atual não garante isso?

    "sem sofrerem intimidações"

    Nunca vi alguém sofrer intimidações. E olhe que eu sofri muitas intimidações em ambientes públicos... Tipo, o mesmo pessoal que defende a Mordaça Gay, o mesmo partido, também apoia a obrigatoriedade da vida escolar, mesmo quando está provado que os praticantes de homeschooling conseguem viver melhor em todas as áreas, da financeira até a social... Veja, como são interessados em salvar indefesos?

    "injurias"

    Já existe lei contra isso. Vale para todos.


    "sem serem tachadas"

    Ah sim... Como é que se mede isso? Tipo, eu tinha dois potenciais funcionários, um era gay e tinha um currículo desinteressante, o outro era assexuado e tinha um currículo de 1 tonelada, escolhi o segundo, tachei o primeiro. Ele se sentiu tachado, o amigo dele olhou para minha cara e viu isso claramente, depois o juiz que pegou a causa também resolveu me tachar de homofóbico, mas, ah, não existe leis para defender judeus de alemães loucos... Já era. Minoria da Alemanha era realmente louca, o grosso vivia na desinformação, tinha mais judeu do que alemão doente mental, mas due problema. Sai, dessa. Você pode até empurrar essa leizinha contra minha liberdade de culto, contra a minha liberdade de discussão, contra a minha liberdade de pensamento, de informação, mas não vou nunca calar diante dessa canalhice. É uma invenção, uma sacanagem feita para garantir direito extras para um grupo de pessoas que tem seus caprichos, que tem uma ideologia de ódio, de ódio contra uma forma de pensamento, de ódio contra o cristianismo e os cristãos, e com isso jamais compactuarei.

    "sabe... coisinhas simples assim..."

    É... Bem simples... Simplíssimas!


    "mas infelizmente difíceis de serem aceitas por mentes dogmatizadas..."

    É uma pena que mentes dogmatizadas, lotadas de slogans de professores vagabundos e analfabetos de ensino médio e fundamental, de jumentices de universidade escritas por intelectuais do século XX que nunca leram nem 10% do status questiones básico que há disponível do que foi produzido no ocidente, fiquem querendo colocar fetiches acima da vida das pessoas, acima da liberdade alheia, acima da possibilidade de debate livre, acima de tudo que se construiu no ocidente...

    Detalhe: a lei poderia alegar os melhores motivos do mundo. Lindo. Mas se os motivos implícitos são cretinos, não é minimamente inteligente se deixar enganar. A mim não enganam.

    ResponderExcluir
  28. "mas infelizmente difíceis de serem aceitas por mentes dogmatizadas..."

    É uma pena que mentes dogmatizadas, lotadas de slogans de professores vagabundos e analfabetos de ensino médio e fundamental, de jumentices de universidade escritas por intelectuais do século XX que nunca leram nem 10% do status questiones básico que há disponível do que foi produzido no ocidente, fiquem querendo colocar fetiches acima da vida das pessoas, acima da liberdade alheia, acima da possibilidade de debate livre, acima de tudo que se construiu no ocidente...

    Detalhe: a lei poderia alegar os melhores motivos do mundo. Lindo. Mas se os motivos implícitos são cretinos, não é minimamente inteligente se deixar enganar. A mim não enganam.

    ResponderExcluir
  29. Sobre o desafio em relação ao Novo Testamento...

    1 Aqui não é lugar para isso.
    2 Mesmo que fosse, não tenho tempo agora. Há prioridades no país hoje maiores.
    3 Não tenho medo algum. Amo a Bíblia com todas as minhas forças. O principal motivo de eu ainda crer em Deus é o milagre que ela representa.
    4 Você nem imagina o que é uma Bíblia. Odeio presunção e soberba, ressalto. Mas posso te garantir isso que afirmei.
    5 Do ponto de vista natural, você deveria começar lendo Northrop Frye...
    6 Há algo na Bíblia que é bem maior do que o ser humano consegue ver...
    7 Você já viu quatro pessoas contarem a mesma história dando exatamente a mesma versão?

    ResponderExcluir
  30. Thiago,

    Vai à merda antes que eu me esqueça. E se quiser continuar essa conversa pode me contactar.

    ResponderExcluir
  31. "Sobre diminuição de abortos após legalização, há outras 1000 pesquisas dizendo o contrário..."
    *
    *
    Diz ai onde eu acho esses estudos então...

    ResponderExcluir
  32. Salomão,

    Bom dia pra vc tbm... e, de onde vc surgiu, meu debate estava sendo até agora apenas com Mr Pipson... mas por mim tudo bem... coloca seu contato ai que posso debater com vc tbm, sem problemas...

    ResponderExcluir
  33. E, só uma curiosidade... vc chegou a dar uma olhada nos links??

    Aqui tem mais um, muito interessante:
    http://www.abortobrasil.hpg.ig.com.br/saude/11/index_int_4.html

    ResponderExcluir
  34. http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=64968&tid=5525357928892702341&na=3&nst=31&nid=64968-5525357928892702341-5525370036940154284

    ResponderExcluir
  35. "Sobre o desafio em relação ao Novo Testamento..."
    *
    "1 Aqui não é lugar para isso."

    Concordo que não é lugar... é que me empolguei...

    "2 Mesmo que fosse, não tenho tempo agora. Há prioridades no país hoje maiores."

    Tudo bem.. perfeitamente compreensível...

    "3 Não tenho medo algum. Amo a Bíblia com todas as minhas forças. O principal motivo de eu ainda crer em Deus é o milagre que ela representa."

    Tudo bem, mas não vejo,particularmente, o pq amar tem necessariamente que significar a impossibilidade de se questionar...

    4 Você nem imagina o que é uma Bíblia. Odeio presunção e soberba, ressalto. Mas posso te garantir isso que afirmei.

    Agora vc errou, conheço muito bem a bíblia... principalmente o AT...

    5 Do ponto de vista natural, você deveria começar lendo Northrop Frye...

    Admito minha ingnorancia, oq é "Northrop Frye"

    6 Há algo na Bíblia que é bem maior do que o ser humano consegue ver...

    Oq? Acho esse tipo de afirmação muito esquiva... parece moldada para evitar questionamentos...

    7 Você já viu quatro pessoas contarem a mesma história dando exatamente a mesma versão?

    Exatamente da mesma forma não, mas com certeza com um grau de semelhança suficiente para que um relato possa corroborar o outro...
    *
    e como o blog é seu, sinta-se a vontade para apagar esses comentários, que eu reconheço, estão fora do contexto do debate principal...

    ResponderExcluir
  36. Thiago,

    Cala a boca e vai à merda! Você não merece essa honra seu moleque!

    ResponderExcluir
  37. Salomão...

    Olha só... boa tarde pra vc tbm amiguinho... eu achei q era vc que queria conversar.... mas se vc num quer, tudo bem... um bom feriado pra vc...

    ResponderExcluir
  38. "Tu é um abortista, e para mim isso é cumplicidade com assassinato premeditado"
    Ô meu pai... não sou abortista, não sou favorável ao aborto, mas tenho consciência de que o aborto representa um problema, um problema que é sumariamente escondido e posto de lado por toda a sociedade, que se nega a fazer um debate que é mais do que necessário!

    "A dissociação que aparentemente você possui com a realidade é doentia."

    Que dissociação é essa??? Minha preocupação é unicamente com a vida de milhares de mulheres que sofrem por não ter nenhum tipo de apoio... e que, se o aborto fosse descriminalizado, poderiam receber o apoio necessário para inclusive talvez até mudar de ideia!!!

    "Posso perder algum tempo, como este que estou perdendo em pleno horário de trabalho, para dizer o que penso de você na sua cara. Mas para dialogar com você? Isso nunca."


    Nunca lhe pedi que fizesse algo que não quer, inclusive foi vc quem resolveu participar da conversa. e passar bem e um bom feriado pra vc...

    ResponderExcluir
  39. Pipson, por favor poste minha última mensagem, pois não estou vendo. Esse fulano está comentando uma mensagem minha que não está postada e por favor solicito que a mesma seja mostrada na íntegra

    ResponderExcluir
  40. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  41. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  42. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  43. Embora a minha mensagem não tenha sido postada e, achando muito estranho o fato de parecer que você foi o único que a recebeu, vou ter que responder suas afirmações:

    "Ô meu pai... não sou abortista, não sou favorável ao aborto, mas tenho consciência de que o aborto representa um problema, um problema que é sumariamente escondido e posto de lado por toda a sociedade, que se nega a fazer um debate que é mais do que necessário!"

    - Cada vez mais vejo que você é um comunista por convicção.

    O problema do aborto ao qual você se refere, é simplesmente a conivencia da polícia com as clínicas de aborto (não falo clandestinas, porque nesse país ainda é crime esta prática abominável, portanto qualquer clínica de aborto é, por definição ilegal e clandestina, pelo menos por enquanto, e não graças a você, nem à dona Dilma!). A título de informação, a coisa mais fácil do mundo é fechar essas clínicas. Basta ver que em pouco tempo, até um jornalista de quinta categoria pôde localizar cada uma delas em várias cidades do país.

    - Mas porque não fecham?

    - Porque não querem!

    Matar crianças na barriga de suas mães financiados pelo dinheiro do contribuinte parece ser mais vantajoso.

    - E falando nesse jornalista, parece que você assistiu a reportagem e acreditou naquela babozeira toda que ele disse não foi?

    - E agora ta repetindo para todo mundo, e achando lindo!

    "Que dissociação é essa??? Minha preocupação é unicamente com a vida de milhares de mulheres que sofrem por não ter nenhum tipo de apoio... e que, se o aborto fosse descriminalizado, poderiam receber o apoio necessário para inclusive talvez até mudar de ideia!!!"

    - Vou te mostrar sua sociopatia.

    Quais direitos tem uma maluca que tenta matar seu filho? um Infanticida tem direitos?

    O único direito que ela tem é de sair do hospital direto para cadeia.

    No dia que prederem essas assassinas em flagrante, em pouco tempo acaba o seu problema de saúde pública.

    Eu que pago meus impostos trabalho para sustentar minha família ainda tenho que aguentar gente como você. Eu não mereço!

    Alguém amarrou alguma destas "vítimas" e enfiou um instrumento entre às suas pernas para dilacerar seu feto ainda vivo à força?

    Você por acaso esta brincando comigo!

    - Vamos entender sua lógica. Na sua cabeça doentia você pensa o seguinte:

    Já que não se "pode acabar" com o aborto ílegal, que gera um "problema de saúde pública" e um problema CRIMINAL. Já que a polícia não "consegue" fechar as clínicas, e a justiça não processa os responsáveis pelo crime (incluindo a mãe). Porque não deixar que façam todo procedimento nos leitos dos hospitais públicos, com o nosso dinheiro, assim, pelo menos, o custo é menor do que as curetagens posteriores! Quem sabe elas se arrependem e através de um intervenção pscicológica, desistam de executar seus filhos!

    Isso me dá um nojo tão grande que não posso descrever!

    Eu conheço muitas mulheres que praticaram até 4 abortos e mesmo assim tiveram mais filhos depois! mesmo com tudo isso, todas elas dizem aos quatro ventos que só não abortaram os outros dois porque o médico disse que elas não sobreviveriam a outro aborto! O que você me diz disso? Elas são vítimas para você?

    O que eu vejo são pessoas doentes que precisam de tratamento psiquiátrico. Assim como você, que as defende. É por isso que reafirmo sua dissociação com a reallidade. Seu posicionamento desproporcional diante dos fatos me faz desconfiar de sua índole, e determina porque eu não quero contato com você, que aliás, foi quem disse com ironia em uma mensagem anterior: "Olha só... boa tarde pra vc tbm amiguinho... eu achei q era vc que queria conversar.... mas se vc num quer, tudo bem... um bom feriado pra vc...". ao que respondi prontamente no POST DESAPARECIDO que não queria conversa com você pois não acreditava que você fosse uma boa pessoa,como ainda não acredito.

    ResponderExcluir
  44. Salomão, não sei o que aconteceu quanto a tal mensagem. Também não a vejo...

    Ontem invadiram meu computador. Sofro ameaças do Partido dos Trabalhadores desde 2007...

    O Partido dos Trabalhadores já foi na Polícia Federal mandar investigar panfletos que usem informações que não sejam convenientes para eles. É uma forma de intimidar os religiosos e conservadores que insistem em informar a população.

    O presidente, usando do cargo, fez ameaças a outro estado, o Vaticano, caso alguns bispos não se esforcem para impedir que seus fiéis falem sobre política e divulguem dados sobre ações do seu partido. Nunca vi uma coisa tão grotesca...

    Esse país chegou a um ponto realmente difícil de imaginar. Coisas que não ocorriam no ocidente desde o tempo de Stálin, Mao e Hitler, voltam a aparecer à luz do dia. Muito ridículo.

    ResponderExcluir
  45. Eu entendo o seu problema e tem o meu apoio nessa luta que deveria ser não só sua mas de todo brasileiro honesto e temente a Deus.

    ResponderExcluir
  46. "- Cada vez mais vejo que você é um comunista por convicção."

    vc acertou... sou não apenas comunista, mas trotskista, o pior tipo de comunista, daqueles que não era aceito nem na união soviética...

    "O problema do aborto ao qual você se refere, é simplesmente a conivencia da polícia com as clínicas de aborto (não falo clandestinas, porque nesse país ainda é crime esta prática abominável, portanto qualquer clínica de aborto é, por definição ilegal e clandestina, pelo menos por enquanto, e não graças a você, nem à dona Dilma!)."

    Infelizmente o problema a que me refiro não é apenas o da conivência de polícia, que realmente é um problema, mas que de forma alguma é simples. E realmente é redundante dizer que clínicas de aborto são ilegais. E isso não deve mudar, infelizmente, nem por minha causa, nem da Dilma, do Serra ou de qualquer outro presidente que possa a vir no futuro, pois vivemos em uma república, e independentemente da opinião pessoal do individuo que possa ocupar o cargo de presidente, ela será apenas isso, Uma opinião pessoal! oq, na eleição em questão, não é sequer uma possibilidade palpável...


    "A título de informação, a coisa mais fácil do mundo é fechar essas clínicas. Basta ver que em pouco tempo, até um jornalista de quinta categoria pôde localizar cada uma delas em várias cidades do país."

    Em uma realidade onde o SUS interna 12 mulheres por hora por causa de aborto, vc acha realmente que bastaria fechar as clínicas? Se isso bastasse o problema seria muito menor do que fato é.

    "- E falando nesse jornalista, parece que você assistiu a reportagem e acreditou naquela babozeira toda que ele disse não foi? "

    Na verdade, não sei de que jornalista vc esta falando, mas se quiser me diz quem é que eu pesquiso...

    "Quais direitos tem uma maluca que tenta matar seu filho? um Infanticida tem direitos? "

    Uma maluca que tenta matar seu filho tem no mínimo o direito de receber tratamento psicológico para a sua "maluquice", agora, uma jovem, pobre, que estudou com sorte até a quarta serie, que tem a família desestruturada, que possivelmente foi abandonada pelo parceiro quando ele soube da gravides, tem absolutamente todo o direito de receber o tratamento adequado!

    "Alguém amarrou alguma destas "vítimas" e enfiou um instrumento entre às suas pernas para dilacerar seu feto ainda vivo à força?"

    A falha do seu ponto de vista está em considerar como culpadas todas as mulheres que por motivos absolutamente diversos se vem obrigadas a recorrer ao aborto; e esquecer de todo o peso da coerção social que uma jovem, pobre, pode receber ai se descobrir grávida.

    ResponderExcluir
  47. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  48. "- Vamos entender sua lógica. Na sua cabeça doentia você pensa o seguinte:

    Já que não se "pode acabar" com o aborto ílegal, que gera um "problema de saúde pública" e um problema CRIMINAL. Já que a polícia não "consegue" fechar as clínicas, e a justiça não processa os responsáveis pelo crime (incluindo a mãe). Porque não deixar que façam todo procedimento nos leitos dos hospitais públicos, com o nosso dinheiro, assim, pelo menos, o custo é menor do que as curetagens posteriores!

    Não. Na minha lógica "doentia", a descriminalização do aborto, acompanhado por uma política pública séria de educação sexual, poderia reduzir muito o número de abortos realizados, salvando a vida de milhares de mulheres e, inclusive, de seus "bebes ainda não nascidos"

    "Quem sabe elas se arrependem e através de um intervenção pscicológica, desistam de executar seus filhos!"

    Ou quem sabe, recebendo o acompanhamento médico adequado, o apoio psicológico necessário, muitas mães possam ver que a escolha extremamente difícil de realizar um aborto não é a melhor opção...

    "Eu conheço muitas mulheres que praticaram até 4 abortos e mesmo assim tiveram mais filhos depois! mesmo com tudo isso, todas elas dizem aos quatro ventos que só não abortaram os outros dois porque o médico disse que elas não sobreviveriam a outro aborto! O que você me diz disso? Elas são vítimas para você?"

    Não, para mim uma mulher que realiza 4 abortos deveria ser julgada pela lei! Nunca, no entanto, deveria ser julgada por nós!

    "O que eu vejo são pessoas doentes que precisam de tratamento psiquiátrico. Assim como você, que as defende. É por isso que reafirmo sua dissociação com a reallidade. Seu posicionamento desproporcional diante dos fatos me faz desconfiar de sua índole, e determina porque eu não quero contato com você, que aliás, foi quem disse com ironia em uma mensagem anterior: "Olha só... boa tarde pra vc tbm amiguinho... eu achei q era vc que queria conversar.... mas se vc num quer, tudo bem... um bom feriado pra vc...". ao que respondi prontamente no POST DESAPARECIDO que não queria conversa com você pois não acreditava que você fosse uma boa pessoa,como ainda não acredito."

    Tbm veja pessoas que precisam de tratamento, tratamento MÉDICO E PSICOLÓGICO. **"Seu posicionamento desproporcional diante dos fatos me faz desconfiar de sua índole"**, queria saber onde está a desproporcionalidade do meu posicionamento diante do fato? Não fui eu que pautei uma questão de ordem pessoal como critério de uma disputa eleitoral. E acho um pena que vc ache possível julgar "minha índole" apenas com base em um debate superficial em uma lista de comentário de um blog...


    "foi (você) quem disse com ironia em uma mensagem anterior: "Olha só... boa tarde pra vc tbm amiguinho... eu achei q era vc que queria conversar.... mas se vc num quer, tudo bem... um bom feriado pra vc...". ao que respondi prontamente no POST DESAPARECIDO que não queria conversa com você pois não acreditava que você fosse uma boa pessoa,como ainda não acredito.

    Ironia? Bem a minha ironia foi apenas uma resposta educada ao seu cometário:
    **"Thiago,
    Vai à merda antes que eu me esqueça. E se quiser continuar essa conversa pode me contactar."**
    Ou vc se esqueceu disso?

    No mais, desejo uma ótima semana para você...

    ResponderExcluir
  49. Eleições presidenciais 2010: em leilão, os ovários das mulheres!

    por FÁTIMA OLIVEIRA*
    http://edufrei.blogspot.com/2010/10/eleicoes-presidenciais-2010-em-leilao.html

    “Isso aqui”, o Brasil, não é um colônia religiosa, não é um Reino e nem um Império, é uma República! Dado o clima do segundo turno das eleições presidenciais brasileiras, parece que as urnas vão parir uma Rainha ou um Rei de Sabá, uma Imperatriz ou um Imperador, que tudo pode, manda em tudo e que suas vontades e ideias, automática e obrigatoriamente, viram lei! Não é bem assim…

    Bastam dois neurônios íntegros para nos darmos conta que o macabro leilão de ovários (com os ovários de todas as brasileiras!), em que o aborto virou cortina de fumaça, objetiva encobrir o discurso necessário para o povo brasileiro do que significa, timtim por timtim, eleger Dilma ou Serra.

    No tema do aborto a tendência mundial é, no mínimo, o aumento dos permissivos legais, que no Brasil são dois, desde 1940: gravidez resultante de estupro e risco de vida da gestante. Pontuando que legalização do aborto ou o acesso a um permissivo legal existente não significa jamais a obrigatoriedade de abortar, apenas que a cidadã que dele necessitar não precisa fazê-lo de modo clandestino, praticando desobediência civil e nem arriscando a sua saúde e a sua vida, cabe ao Estado laico e democrático colocar à disposição de suas cidadãs também os meios de acessar um procedimento médico seguro, como o abortamento.

    Negá-lo, como tem feito o Brasil, que se gaba de possuir um dos sistemas de saúde mais badalados do mundo que garante acesso universal a TODOS os procedimentos médicos que não estão em fase de experimentação, é imoral, pois quebra o princípio do acesso universal do direito à saúde! Eis os termos éticos para o debate sobre o aborto numa campanha eleitoral. Nem mais e nem menos!

    Então, o que estamos assistindo nas discussões do atual processo eleitoral é uma disputa para ver quem é a candidatura mais CAPAZ de desrespeitar os princípios do SUS, pasmem, em nome de Deus, num Estado laico! Ora, quem ocupa a presidência da República pode até ser carola de carteirinha, mas para consumo pessoal e não para impor seus valores para o conjunto da sociedade, pois a República não é sua propriedade privada!

    ResponderExcluir
  50. Repito, não podemos esquecer que isso aqui, o Brasil, é uma República que se pauta por valores republicanos a quem todos nós devemos respeito, em decorrência, não custa nada dizer às candidaturas que limitem as demonstrações exacerbadas de carolice ao campo do privado, no recesso dos seus lares e de suas igrejas, pois não estão concorrendo ao governo de um Estado teocrático, como parece que acreditam. Como cidadã, sinto-me desrespeitada com tal postura.

    As opções religiosas são direitos pétreos e questões do fórum íntimo das pessoas numa democracia. Jamais o norte legislativo de uma Nação laica, democrática e plural. Para professor uma fé e defendê-la é preciso liberdade de religião, só possível sob a égide do Estado laico, onde o eixo das eleições presidenciais é a escolha de quem a maioria do povo considera mais confiável para trilhar rumo a um país menos miserável, de bem-estar social, uma pátria-mátria para o seu povo.

    Ou há pastores/as e padres que insistem em ignorar a realidade? “Chefe religioso” ignorante de que a sua religião necessita das liberdades democráticas como do ar que respiramos, não merece o lugar que ocupa, cabendo aos seus fiéis destituí-los do cargo, aí sim em nome de Deus, amém!

    O leilão de ovários em curso resulta de vigarices e pastorices deslavadas, de má-fé e falta de escrúpulos que manipulam crenças religiosas de gente de boa-fé para enganá-las, como a uma manada de vaquinhas de presépio, vaquejadas por uma Madre Não Sei das Quantas, cristã caridosa e reacionária disfarçada de santa, exemplar perfeito de que pessoas desse naipe só a miséria gera. Num mundo sem miséria, madres lobas em pele de cordeiro são desnecessárias e dispensáveis. É pra lá que queremos ir e o leilão de ovários quer impedir!

    Quem porta uma gota de lucidez tem o dever, moral e político, de não permitir que a escória fundamentalista de qualquer religião, que faz da religião um balcão de negociatas que vende Deus, pratica pedofilia e fica impune e ainda tem a cara de pau de defender a impunidade para pedófilos e os acoberta desde os tempos mais remotos, nos engabele e ande por aí com uma bandeja de ovários transformando a escolha de quem presidirá a República num plebiscito pra definir quem tem mais mão de ferro pra mandar mais no território do corpo feminino!

    Cadê a moral dessa gente desregrada para querer ditar normas de comportamento segundo a sua fé religiosa para o conjunto da sociedade, como se o Brasil fosse a sua “comunidade religiosa”? Ora, qualquer denominação religiosa em terras brasileiras está também obrigada ao cumprimento das leis nacionais, ou não? Logo o que certas multinacionais da religião fizeram no processo eleitoral 2010 tem nome, chama-se ingerência estrangeira na soberania nacional. E vamos permitir sem dar um pio?

    Diante dessa juquira (brotação da mata pós-desmatamento), onde só medrou urtiga e cansanção, cito Brizola, que estava coberto de razão quando disse: “O Brasil é um país sem sorte”, pois em pleno Século 21 conta com candidaturas presidenciais (não sobra uma, minha gente!) reféns dos setores mais arcaicos e feudais de algumas religiões mercantilistas de Deus.

    ResponderExcluir
  51. É hora de dar um trato ecológico na juquira que empana os ideais e princípios republicanos, fora dos ditames da “moderna” agenda verde financeira neoliberal da “nova política”, que no Brasil é infectada de carcomidas figuras, que bem sabemos de onde vieram e pra onde vão, se o sonho é fazer do Brasil um jardim de cidadania, similar ao que Cecília Meireles tão lindamente poetou.

    “Quem me compra um jardim com flores?/ borboletas de muitas cores,/ lavadeiras e passarinhos,/ ovos verdes e azuis nos ninhos?/ Quem me compra este caracol?/ Quem me compra um raio de sol?/ Um lagarto entre o muro e a hera,/ uma estátua da Primavera?/ Quem me compra este formigueiro?/ E este sapo, que é jardineiro?/ E a cigarra e a sua canção?/ E o grilinho dentro do chão?/ (Este é meu leilão!)” [Leilão de Jardim, Cecília Meireles].

    Em 2010 em nosso país o que está em jogo é também a luta por uma democracia que se guie pela deferência à liberdade reprodutiva e que considere a maternidade voluntária um valor moral, político e ético, logo respeita e apoia as decisões reprodutivas das mulheres, independente da fé que professam. Nada a ver com a escolha de quem vai mandar mais no território dos corpos das mulheres! Então, xô, tirem as mãos dos nossos ovários!


    _____

    * FÁTIMA OLIVEIRA é médica e escritora. Feminista. Integra o Conselho Diretor da Comissão de Cidadania e Reprodução (CCR) e o Conselho Consultivo da Rede de Saúde das Mulheres Latino-americanas e do Caribe (RSMLAC). Escreve uma coluna semanal no jornal O Tempo (BH, MG), desde 3 de abril de 2002. Uma das 52 brasileiras indicadas ao Nobel da Paz 2005, pelo projeto 1000 Mulheres para o Nobel da Paz 2005. Autora dos seguintes livros de divulgação e popularização da ciência: Engenharia genética: o sétimo dia da criação (Moderna, 1995 – 14a. impressão, atualizada em 2004); Bioética: uma face da cidadania (Moderna, 1997 – 8a. impressão atualizada, 2004); Oficinas Mulher Negra e Saúde (Mazza Edições, 1998); Transgênicos: o direito de saber e a liberdade de escolher (Mazza Edições, 2000); O estado da arte da Reprodução Humana Assistida em 2002 e Clonagem e manipulação genética humana: mitos, realidade, perspectivas e delírios (CNDM/MJ, 2002); Saúde da população Negra, Brasil 2001 (OMS-OPS, 2002). Autora dos seguintes romances: A hora do Angelus (Mazza Edições, 2005); Reencontros na travessia: a tradição das carpideiras (Mazza Edições, 2008); e Então, deixa chover (no prelo).

    E-mail: fatimaoliveira@ig.com.br Texto publicado como ESPECIAL PARA O VIOMUNDO, em http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/fatima-oliveira-comeca-a-reacao-das-mulheres-contra-o-aiatola-serra.html

    FONTE: http://espacoacademico.wordpress.com/2010/10/13/eleicoes-presidenciais-2010-em-leilao-os-ovarios-das-mulheres/
    Postado por

    ResponderExcluir
  52. Você não é trotskista. E se não é comunista como diz é apenas um idiota útil.

    ResponderExcluir
  53. "Infelizmente o problema a que me refiro não é apenas o da conivência de polícia, que realmente é um problema, mas que de forma alguma é simples. E realmente é redundante dizer que clínicas de aborto são ilegais. E isso não deve mudar, infelizmente, nem por minha causa, nem da Dilma, do Serra ou de qualquer outro presidente que possa a vir no futuro, pois vivemos em uma república, e independentemente da opinião pessoal do individuo que possa ocupar o cargo de presidente, ela será apenas isso, Uma opinião pessoal! oq, na eleição em questão, não é sequer uma possibilidade palpável..."

    É simples sim. O povo brasileiro não quer um a legalização e comunistas de merda ou idiotas úteis como você, não querem colocar o povo nas ruas para votar uma questão séria dessas de uma vez por todas, porque sabem qual seria o resultado. E quanto a isso camarada, sua opinião não teria a mínima relevância nesse país, para seu desgosto, pelo que pude notar.

    ResponderExcluir
  54. E onde elas fariam o aborto? No banheiro da casa delas com uma faca de cortar pão? Sabemos que grande parte é devido a remédios. Você não entende que legalizar isso nada tem a ver com essas estatísticas, pois a mulher que está com muitos meses de gravidez e não tem dinheiro para efetuar um aborto clandestino (o que é a maioria), geralmente desiste. As outras correm para fazer o aborto clandestino. Se o governos legalizar, essas que desistiriam, com certeza iriam optar por fazer o aborto. E tem mais um problema, as que fazem uso do remédio, continuariam fazendo isso, pois a motivação da maioria é o medo de descoberta da gravidez, por serem menores de idade. Agora me diga, o governo vai matar criaças dentro da barriga de menores de idade, sem o conhecimento dos pais? É isso que você está defendendo?

    ResponderExcluir
  55. "Uma maluca que tenta matar seu filho tem no mínimo o direito de receber tratamento psicológico para a sua "maluquice", agora, uma jovem, pobre, que estudou com sorte até a quarta serie, que tem a família desestruturada, que possivelmente foi abandonada pelo parceiro quando ele soube da gravides, tem absolutamente todo o direito de receber o tratamento adequado!"

    Tratamento adequado para você seu psicopata é matar a criança e depois cuidar da mãe. Pois para mim é cuidar da criança e depois tratar da mãe. E se esta for maior de idade e não tiver problemas mentais deve ir para cadeia por tentativa de homicídio. E se for menor deve ter acompanhamento até que chegue a vida adulta. Mas esse mundo útópico em que você vive não existe. Pois nem para fazer os partos das que querem ter o filho, o estado atende adequadamente. Imagine então se esta sua loucura é aprovada. Teremos um SUS falido, tendo que optar entre matar bebês ou fazer o parto das que querem ter seus bebês. Para mim, de trotsky, você deveria herdar o seu fim. Sua lógica maquiavélica não se sustenta nem um minuto frente à realidade.

    ResponderExcluir
  56. "A falha do seu ponto de vista está em considerar como culpadas todas as mulheres que por motivos absolutamente diversos se vem obrigadas a recorrer ao aborto; e esquecer de todo o peso da coerção social que uma jovem, pobre, pode receber ai se descobrir grávida."

    Falha no meu ponto de vista? Seu vagabundo! Niguém é obrigado a recorrer a um aborto. Isso absolutamente não existe seu bosta! Não há motivos que justifique isso e ponto final!
    Como é que você defende que o estado tem que auxiliar uma potencial assassina a matar o próprio filho, inclusive psicologicamente e ao mesmo tempo afirma que o fato dela ser pobre e incapaz de criar o bebê é motivo justo para ela executá-lo! Você é doido? Então porque é que esse mesmo estado não cuida dessa suposta "pobre jovem incapaz e inocente" até que a criança, realmente a única inocente na história, nasça e assim seja dado em adoção? Seu bosta! Inocente é a criança que esta sendo morta seu vagabundo! Seu bastardo de merda! não mude de assuto seu larápio imprestável! Inocente é o bebê!

    ResponderExcluir
  57. "Não, para mim uma mulher que realiza 4 abortos deveria ser julgada pela lei! Nunca, no entanto, deveria ser julgada por nós!"

    Que lei, se você que é legalizar essa merda toda! POis eu jugo sim. Quem mata bebê é um assassino. A palavra é essa. E ponto final. E quem defende isso é igual ou pior.

    ResponderExcluir
  58. Ironia? Bem a minha ironia foi apenas uma resposta educada ao seu cometário:
    **"Thiago,
    Vai à merda antes que eu me esqueça. E se quiser continuar essa conversa pode me contactar."**
    Ou vc se esqueceu disso?

    No mais, desejo uma ótima semana para você...

    Pois minha saudação para você continua sendo "Vá a merda." E acrescento cale a boca burro!

    ResponderExcluir
  59. "Você não é trotskista. E se não é comunista como diz é apenas um idiota útil."

    Juro que não entendi! Como assim não sou troskista?
    eu disse:"sou não apenas comunista, mas trotskista" o que quer dizer que sou um comunista que seque as ideias de trotsky.

    E como assim idiota útil???

    ResponderExcluir
  60. "É simples sim. O povo brasileiro não quer um a legalização e comunistas de merda ou idiotas úteis como você, não querem colocar o povo nas ruas para votar uma questão séria dessas de uma vez por todas, porque sabem qual seria o resultado. E quanto a isso camarada, sua opinião não teria a mínima relevância nesse país, para seu desgosto, pelo que pude notar."

    Quem disse que não quero botar o povo na rua? Acho que um plebiscito seria uma ótima forma de, no mínimo, levar essa discussão a toda a sociedade e de garantir que a vontade da maioria possa ser posta em prática, seja ela qual for...

    ResponderExcluir
  61. "E onde elas fariam o aborto? No banheiro da casa delas com uma faca de cortar pão? Sabemos que grande parte é devido a remédios. Você não entende que legalizar isso nada tem a ver com essas estatísticas, pois a mulher que está com muitos meses de gravidez e não tem dinheiro para efetuar um aborto clandestino (o que é a maioria), geralmente desiste. As outras correm para fazer o aborto clandestino. Se o governos legalizar, essas que desistiriam, com certeza iriam optar por fazer o aborto. E tem mais um problema, as que fazem uso do remédio, continuariam fazendo isso, pois a motivação da maioria é o medo de descoberta da gravidez, por serem menores de idade. Agora me diga, o governo vai matar criaças dentro da barriga de menores de idade, sem o conhecimento dos pais? É isso que você está defendendo?"

    Não, não é isso que eu estou defendendo. Estou defendendo que essas meninas possam ter orientação psicológica antes que cheguem a realizar o aborto e que seja feito tudo oq for possível para que elas desistam dele. Quero que elas não tenham medo, e mais que isso que tenham a possibilidade, de procurar um posto de saúde, por ex., e que lá recebam todo aconselhamento para entender a importância de uma gravides e tudo o q ela representa.
    Por isso eu acredito que a descriminalização, acompanhada pela garantia de acompanhamento da gravides iria diminuir muito o número de abortos.
    E faço constar que sou contra a realização de aborto em casos de gravides avançada. Nesses casos acho que deve ser proibido e concordo que seria uma ssassinato.

    ResponderExcluir
  62. "Falha no meu ponto de vista? Niguém é obrigado a recorrer a um aborto. Isso absolutamente não existe! Não há motivos que justifique isso e ponto final!"

    Ninguém é obrigado? Nem pelo parceiro, nem pela família, nem pela pobreza?

    "Como é que você defende que o estado tem que auxiliar uma potencial assassina a matar o próprio filho, inclusive psicologicamente e ao mesmo tempo afirma que o fato dela ser pobre e incapaz de criar o bebê é motivo justo para ela executá-lo! Você é doido?"

    Eu defendo que o Estado tem q dar orientação e educação para que NÃO SEJA PRECISO RECORRER AO ABORTO. E eu não defendo que é um motivo justo, mas é o motivo que leva muitas mulheres a fazerem isso, infelizmente!

    "Então porque é que esse mesmo estado não cuida dessa suposta "pobre jovem incapaz e inocente" até que a criança, realmente a única inocente na história, nasça e assim seja dado em adoção?"

    Com certeza esta seria uma ótima medida, mas não sei se apenas isso resolveria o problema...

    ResponderExcluir
  63. "Que lei, se você que é legalizar essa merda toda! POis eu jugo sim. Quem mata bebê é um assassino. A palavra é essa. E ponto final. E quem defende isso é igual ou pior."

    Concordo plenamente, quem mata uma bebe é uma assassino. Mas não acredito quem um embrião com 5 a 6 semanas possa ainda ser considerado um bebe, um individuo pleno.
    Um aborto realizado nessa fase é algo totalmente diferente de um aborto realizado em um período mais avançado da gravides...

    ResponderExcluir
  64. "Pois minha saudação para você continua sendo "Vá a merda." E acrescento cale a boca burro!"

    Sinceramente acho isso uma pena, e continua desejando uma ótima semana e muitas felicidades para você

    ResponderExcluir
  65. "Concordo plenamente, quem mata uma bebe é uma assassino. Mas não acredito quem um embrião com 5 a 6 semanas possa ainda ser considerado um bebe, um individuo pleno.
    Um aborto realizado nessa fase é algo totalmente diferente de um aborto realizado em um período mais avançado da gravides..."

    Você não pode provar isso, e ninguém pode, então, por um simples fato de haver dúvida, o aborto não pode ser considerado. Ponto final.

    ResponderExcluir
  66. O que está em questão aqui é, de um lado, a gravidade social desta matéria e, do outro, a superficialidade e hiprocrisia com que certos setores de nossa sociedade vêm, de forma repetida, se recusando a pautar este urgente tema, e apoiando-se em questões de ordem religiosa (maquiadas de "moral e bons costumes") e que deveriam dizer respeito unicamente à vida privada e, inclusive, amparadas pelo próprio texto constitucional - e reafirmados pelo PNDH-3: "(...) "Objetivo estratégico VI: Respeito às diferentes crenças, liberdade de culto e garantia da laicidade." É inadmissível que em um Estado laico [vide Constituição da República Federativa Brasileira DE 1891 CRFB (Art. 72, § 7º)] paute-se questão de ordem religiosa para desqualificar, de forma caluniosa, o Programa da candidata Dilma, que, em nenhum momento faz qualquer referência à questão do aborto.

    Confira este vídeo muito interessante:
    http://www.youtube.com/watch?v=X29gSTBhXuk&feature=related

    Jhonatan

    ResponderExcluir
  67. jhonmsant

    Para de dizer besteira e vai estudar o assunto antes. Você de nada sabe. Ninguém aqui está falando de religião. Se comenta aqui a legalidade de matar ou não uma vida humana e indefesa no ventre da mãe e com o dinheiro do contribuinte. Eu sou contra. Você é a favor? Se for é um apologista do infanticídio. Ponto final. Leia os posts antes de comentar as coisas.

    ResponderExcluir
  68. Querido Salomão,
    li os posts antes sim, e sinceramente acredito que seu discursos está centrado em emoções e não apresenta, muito embora com uma aparência de sensibilidade, o verdadeira pedra no sapato quenado se fala em políticas públicas de direito sexual e repsodutivo. Fecha os olhos para as dimensões socias da matéria, para a desatualização legal (da década de 1940) e, sobretudo, ignora a importância de uma longa discussão da questão no país. Fato é que as mulheres que não podem pagar pelo serviço tomam chás muitas vexes tóxicos, remédios vendidos ilegalmente por farmácias, usam agulhas de tricô e outros métodos nada seguros para interromper sua gravidez. Concordo com o Thiago: nossas políticas públicas têm de ser mais assertivas, isto é resolve de fato o problema. Como fazemos isto? De várias maneiras, ora:
    -incentivando e investindo em campanhas massivas de proteção no sexo, com distribuição de anticoncepcionais, propagandas de TV e rádio...;
    -formação de pessoal de saúde capacitado e treinado para aconselhar famílias quanto às políticas de planejamento familiar;
    -Desburocratizar cada vez mais os processos de adoção;
    -Instituir a descriminalização do aborto, com uma série de restrições, p.ex.:
    1.esclarecendo a mulher e seu(sua) parceiro(a) sobre outros métodos, sobre as complicações na saúde, psicológicas que a interrupção de gravidez pode ocasionar...
    2.estabelecendo um limite de vezes em que a pártica é permitida por pessoa (p.ex. 1 ou 2 vezes)
    3.equipando e preparando hospitais para que as cirurgias de vasectomia e ligadura de trompas estjam disponíveis e sejam divulgadas e acessíveis
    4.esclarecendo a população a respeito dos mecanismos legais que dão à mulher o direito de entregar seu nenê à adoção, direito asegurado em lei mas pouco sabido
    5.estipular um limite de tempo a partir do qual a interrupção não pode mais ocorrer, p.ex. 1 ou 2 meses
    6.Insistimos: o aborto tem de ser a ÚLTIMA opção, na verdade acrdito que o Estado tem a obrigação de oferecer todos os mecanismos e aparelhos sociais para assegura que ele seja realmente a última opção.
    7.os dados sobre aborto no Brasil que vão-se acumulando serviriam para conduzir e guiar nossa política pública para avaliar retrocessos e avanços.
    Para se pensar em um projeto sério de saúde da mulher e direitos sexuais e reprodutivos não podemos ter a visão cartesiana, que separa os problemas de um contexto, na pretensão de que, julgando-o isoladamente,possa-se encontrar uma resolução para o tal. Não se pode esperar uma postura como essa do próximo presidente, não se ele realmente quiser seguir mudando o Brasil.

    ResponderExcluir
  69. Querido Salomão,
    li os posts antes sim, e sinceramente acredito que seu discursos está centrado em emoções e não apresenta, muito embora com uma aparência de sensibilidade, o verdadeira pedra no sapato quenado se fala em políticas públicas de direito sexual e repsodutivo. Fecha os olhos para as dimensões socias da matéria, para a desatualização legal (da década de 1940) e, sobretudo, ignora a importância de uma longa discussão da questão no país. Fato é que as mulheres que não podem pagar pelo serviço tomam chás muitas vexes tóxicos, remédios vendidos ilegalmente por farmácias, usam agulhas de tricô e outros métodos nada seguros para interromper sua gravidez. Concordo com o Thiago: nossas políticas públicas têm de ser mais assertivas, isto é resolve de fato o problema. Como fazemos isto? De várias maneiras, ora:
    -incentivando e investindo em campanhas massivas de proteção no sexo, com distribuição de anticoncepcionais, propagandas de TV e rádio...;
    -formação de pessoal de saúde capacitado e treinado para aconselhar famílias quanto às políticas de planejamento familiar;
    -Desburocratizar cada vez mais os processos de adoção;
    -Instituir a descriminalização do aborto, com uma série de restrições, p.ex.:

    ResponderExcluir
  70. 1.esclarecendo a mulher e seu(sua) parceiro(a) sobre outros métodos, sobre as complicações na saúde, psicológicas que a interrupção de gravidez pode ocasionar...
    2.estabelecendo um limite de vezes em que a prática é permitida por pessoa (p.ex. 1 ou 2 vezes)
    3.equipando e preparando hospitais para que as cirurgias de vasectomia e ligadura de trompas estejam disponíveis e sejam divulgadas e acessíveis
    4.esclarecendo a população a respeito dos mecanismos legais que dão à mulher o direito de entregar seu nenê à adoção, direito assegurado em lei mas pouco sabido
    5.estipular um limite de tempo a partir do qual a interrupção não pode mais ocorrer, p.ex. 1 ou 2 meses
    6.Insistimos: o aborto tem de ser a ÚLTIMA opção, na verdade acredito que o Estado tem a obrigação de oferecer todos os mecanismos e aparelhos sociais para assegura que ele seja realmente a última opção.
    7.os dados sobre aborto no Brasil que vão-se acumulando serviriam para conduzir e guiar nossa política pública para avaliar retrocessos e avanços.
    Para se pensar em um projeto sério de saúde da mulher e direitos sexuais e reprodutivos não podemos ter a visão cartesiana, que separa os problemas de um contexto, na pretensão de que, julgando-o isoladamente, possa-se encontrar uma resolução para o tal. Não se pode esperar uma postura como essa do próximo presidente, não se ele realmente quiser seguir mudando o Brasil.

    ResponderExcluir
  71. Por isto votamos Dilma 13 Presidente! Por que para fazer as mudanças de que o Brasil precisa, precisa-se de alguém que olha seu povo e consegue enxergar seus problemas de uma forma ampla, contextualizada e pensa resoluções que envolvam mais do que apenas pragmatismo gerencial, mas valores como inclusão social, que pensa a saúde como um fator de acesso e não de desigualdade entre os que podem pagar e os que sofrem por não poder.
    ÀS VEZES PARO para pensar na hipocrisia em que vivemos: 1 em cada 5 mulheres já praticou aborto pelo menos uma vez no Brasil. Até quando o governo e sua população vão continuar fechando os olhos para isso? O aborto nunca foi problema para a Ana Maria Braga, para a MOnica Serra, para Maitê Proença... Afinal, se tem-se $, o aborto passa a ser uma questão de desigualdade e não moral, como muito teimam em defender. Quero ver onde fica a moral de mulheres abandonadas pelo Estado, nos 4 cantos do país, sem condições a um acesso aos serviços ou disposititvos de saúde anticoncepcionais que o SUS entrega, sem informação (muitas pessoas AINDA (!) acreditam que na primeira vez se não se usar preservativo não se engravida!

    ResponderExcluir
  72. Como fica também a moral de mulheres que são abandonadas por seus maridos assim que os tais passam a saber que são pais? Pais estes que não gozam de condiçlões financeiras adequadas para prover o sustento de seus filhos?Penso que o governo deve investir maciçamente nas áreas de prevenção e informação, também nos equipamentos públicos de saúde e,de fato, na última hipótese, dixar para que a mulher e seu conjuge decidam se optam ou não pela interrupção. O que não pode, na minha modesta opinião, é encarcerar as mulheres por não terem condições de cuidar de seus filhos e, mesmo assim, serem obrigadas a levarem a a cabo uma decisão como esta. Mas quanto às Eleições, Dilma j´pa deixou muito calro que não tem intenção de mudar a legislação. ENtretanto, cabe aos movimentos sociais que o defendem mobilizarem-se e tornar o aborto um debate, desvelando-odas mazelas de continuar como tabu, um fato obscuro sobre o qual não se fala, a não ser na campanha eleitoral de um certo candidato que, com astúcia e perspicácia, mostra O Pastor Silas Malafaia e diversos líderes evangélicos para passar a fama de bom moço da ética,moral e bons costumes. Aborto é muito mais que um assunto que é trazido à baila nas vésperas da eleição apenas com o intuito de suscitar divisões no povo, polêmicas fora de hora, ou ainda possíves (embora improvávesi) associações que os eleitores poderiam ser levados a traçar entre Serra e Marina Silva, devido à religião,num esforço desesperado e destramblehado de Serra para "receber" os votos da verde.

    ResponderExcluir
  73. Como fica o bebê, a criança inocente? Me explique isso e podemos conversar. Vamos ser claros. Eu não estou preocupado nem um pouco com a mãe. Os casos de saúde pública, que dizem respeito a perigo de vida iminente da mãe já são previstos em lei e não precisam de legislação especial; Pegue sei discurso comunista e enfie onde você achar melhor, mas em mim não.

    ResponderExcluir
  74. "O Papa falou em democracia?!

    O Papa em sua última declaração, dirigida diretamente aos bispos brasileiros afirmou que os projetos políticos que contemplam a descriminalização do aborto ou da eutanásia traem o ideal democrático. Esse é o mesmo Papa que quando responsável pela Congregação da Doutrina da Fé, condenou a Teologia da Libertação por considerá-la "política".

    Nossa perplexidade: Como o chefe maior de uma Igreja que segue mantendo uma estrutura pré-moderna, piramidal e patriarcal pode falar em democracia? Como cobrar democracia dos Estados e líderes políticos, se a Igreja Católica ignora as vozes de seus/as fiéis que há tempo vem pedindo o direito de escolher seus bispos? Só é eficaz a exigência da democracia por parte de quem a vive como um ideal.

    Democracia inclui o direito de opinar sobre os temas de interesse coletivo. No debate democrático se constroem posições de consensos ou se mantém o dissenso, mas todos/as têm o direito de falar. O Papa, assim como o Rabino, a Mãe de Santo, o Pastor, o Monge Budista e todos/as representantes religiosos devem ser ouvidos e tratados com igual importância. Falar, orientar seus fiéis ou quadros religiosos, não significa tornar-se impositivo, e infringir a lei para disseminar suas idéias, desde que essas orientações dirijam-se unicamente aos fiéis daquela igreja. Mesmo assim, há que respeitar a liberdade de consciência de cada cidadão/ã que deve votar a partir de suas próprias convicções. A escolha cidadã não pode ser tutelada. O bispo de Guarulhos, D. Luiz Bergonzini infringiu os princípios democráticos, a laicidade do Estado ao divulgar os 2 milhões de panfletos contra a candidata do atual governo. Tentou interferir diretamente na consciência eleitoral da população católica. No Brasil há mais de cem anos, vivemos um regime de separação entre igreja e Estado, isso deve ser respeitado. Será que o bispo D. Luiz Bergonzini agiu de forma democrática? O Papa entende que isto é democracia?

    Há questões que correspondem tão somente aos/às cidadãos/ãs de um país. Eleição é uma delas. Trata-se de um princípio tão fundamental e "sagrado" da democracia que organismos como a ONU enviam seus representantes para que zelem pela retidão de processos eleitorais em países fragilizados do ponto de vista da democracia. Como pode então um chefe de outro Estado, que também é chefe religioso de uma igreja interferir em processos políticos do nosso país? Trata-se de um caso de desrespeito total à laicidade do Estado!

    O Papa também fala da promoção do bem comum. Quais são os critérios e valores utilizados para definir o "bem comum"? Diminuir o índice de mortalidade materna provocado por abortos clandestinos e inseguros não faz parte do "bem comum"?

    Nós, Católicas pelo Direito de Decidir - parte desta Igreja formada pelo povo de Deus- vimos a público manifestar nossa divergência com a orientação papal. Afirmamos nossa fé, e entendemos que ser católico/a é ser fiel à própria consciência, um chefe religioso não pode interferir na liberdade de consciência. Esse é um princípio básico do Cristianismo. Jesus também falou aos homens do templo, não se conformou com os hábitos e vícios da hierarquia judaica e é a Ele, que nós seguimos.

    CATÓLICAS PELO DIREITO DE DECIDIR"

    ResponderExcluir
  75. Este é meu último texto. Peço ao administrador deste site que não permita mais comentários de pessoas abortistas. Esse discussão é doentia e sem fundamento. Pessoas assasinas não deveriam ter direito a dar opiniões. Você está contribuindo para que estas pessoas possa expor de modo válido suas maldades como se fossem objeto de uma controvérsia válida.

    ABORTO

    Introdução

    Por 21 dias o coração do bebê começa a bater e o sangue flui através de seu corpo. Aos 45 dias do cérebro do bebê minúsculo ondas podem ser detectadas. Por 8-9 semanas o pálpebras começam a serem formadas e o cabelo aparece. Por 9 ou 10 semanas, chupa o dedo, franze a testa e move a sua da língua. Por 12 ou 13 semanas, o bebê tem unhas e suas próprias impressões digitais únicas, todas as artérias estão presentes, cordas vocais estão completas, o bebê pode chorar e recua da dor. Em 14 semanas, a mãe começa a sentir o bebê se mexendo dentro dela. Com 15 semanas o bebê tem as suas papilas gustativas totalmente formadas. Às 16 semanas, tem as sobrancelhas e as pestanas, e pode agarrar com as mãos, chutar, e até dar cambalhota. Às 20 semanas o bebê pode ouvir e reconhecer a voz de sua mãe.

    ResponderExcluir
  76. Continuação ...

    Os tipos mais comuns do aborto são as seguintes:

    Sucção Aspiração. Este é o método mais comum durante o primeiro trimestre da gravidez. O bebezinho é literalmente sugado para fora do útero por uma bomba poderosa com uma força de sucção quase 30 vezes maior do que um aspirador de pó. O procedimento deixa o corpo do bebê em pedaços.

    Dilatação e curetagem (D & C). Este método é utilizado até 18 semanas. O abortista usa um currette, uma faca de aço, para cortar o bebê em peças para que elas possam ser removidas.

    Nascimento parcial (D & X). Usado para "gravidez avançada", o bebê é parcialmente retirado do útero de modo que cerca de metade do seu pequeno corpo seja exposto com suas pernas dependuradas para fora do corpo da mulher. O aborteiro, em seguida, mergulha uma tesoura na cabeça do bebê, pela na nuca abrindo-a para matar a criança. O cérebro é então removido por sucção antes de o corpo sem vida ser totalmente removidos.

    Intoxicação por sal. Isto é usado após 16 semanas. A aborteiro injeta uma forte solução salina diretamente no o saco amniótico (fluido que envolve o bebê). Como o bebê respira e absorve a solução, é envenenado. Leva mais de uma hora para matar o bebê, os quais lutam e se debatem durante este tempo. Nos EUA, crianças aborta desta forma são chamadas de "bebês Candy Apple" porque o efeito corrosivo do sal expõe uma camada subcutânea vermelha parecendo vidro e sua cabeça fica semelhante a uma maçã do amor.

    Prostaglandina aborto químico. Droga entregue através de injeção ou supositório que produz um trabalho de parto violento. Às vezes o bebê nasce vivo, mas é muito pequeno para sobreviver.

    RU-486. Este medicamento tomado em forma de pílula produz um aborto, não permitindo o acesso pelo bebê de um nutriente essencial. Ru-486 é usado após a mãe perder o seu período mestrual, nesta fase o bebê está pelo menos com duas a três semanas de idade. Já é velho o suficiente para ter um coração batendo.

    ResponderExcluir
  77. ...e a tradicional lei do "Ou você pensa igual a mim, ou você é um idiota"...
    *
    *
    "Você não pode provar isso, e ninguém pode, então, por um simples fato de haver dúvida, o aborto não pode ser considerado. Ponto final."
    *
    *
    *
    *
    Você acredita, pelo que eu entendi, que a partir da fecundação o embrião já pode ser considerado um indivíduo pleno, possuindo todos os direitos de um adulto. Eu acredito que apenas a partir do momento em que o embrião adquire a capacidade de sobreviver independentemente da mãe. Por exemplo, o bebe prematuro mais jovem a sobreviver tinha 21 semanas de vida, acredito que um marco regulatório razoavelmente justo seriam então em torno de 18-19 semanas.

    ResponderExcluir
  78. Olhar o aborto sob a ótica do começo da vida desvia-nos do verdadeiro debate. Um pesquisador descreveu mais de 30 maneiras diferentes de se considerá-la, como afirmou meu professor de biologia celular (estudo Biologia na UFJF). Temos de nos concentrar na desigualdade social, na falta de amparo do Estado, na insuficiência de recursos para uma vida digna,na laicidade do Estado, no imenso abismo entre as clínicas luxuosas da elite e as clandestinas e métodos ultra-arcaicos de se interromper, que colocam a mulher em iminente risco de vida, na hipocrisia da sociedade brasileira, em que 1 em cada 5 mulheres já praticou aborto PELO MENOS UMA vez.

    Parafraseando Frei Betto:
    "Para a genética, o feto é humano a partir da segmentação. Para a ginecologia-obstetrícia, desde a nidação. Para a neurofisiologia, só quando se forma o cérebro. E para a psicosociologia, quando há relacionamento personalizado. Em suma, carece a ciência de consenso quanto ao início da vida humana."
    "Se os moralistas fossem sinceramente contra o aborto, lutariam para que não se tornasse necessário e todos pudessem nascer em condições sociais seguras. Ora, o mais cômodo é exigir que se mantenha a penalização do aborto. Mas como fica a penalização do latifúndio improdutivo e de tantas causas que, no Brasil, levam à morte, por ano, de cerca de 21 entre cada 1.000 crianças que ainda não completaram doze meses de vida?" (http://bit.ly/b7Cj2R)

    ResponderExcluir
  79. E Leonardo Boff:
    "É importante que na intervenção do Papa na política interna do Brasil acerca do tema do aborto, tenhamos presente este fato para não sermos vítimas de hipocrisia: nos catolicíssimos países como Portugal, Espanha, Bélgica, e na Itália dos Papas já se fez a descriminalização do aborto (Cada um pode entrar no Google e constatar isso). Todos os apelos dos Papas em contra, não modificaram a opinião da população quando se fez um plebiscito. Ela viu bem: não se trata apenas do aspecto moral, a ser sempre considerado (somos contra o aborto), mas deve-se atender também a seu aspecto de saúde pública. No Brasil acada dois dias morre uma mulher por abortos mal feitos , como foi publicado recentemente em O Globo na primeira página. Diante de tal fato devemos chamar a polícia ou chamar médico? O espírito humanitário e a compaixão nos obriga a chamar o médico até para não sermos acusados de crime de omissão de socorro.

    Curiosamente, a descriminalização do aborto nestes países fez com que o número de abortos diminuisse consideravelmente.

    O organismo da ONU que cuida das Populações demonstrou há anos que quando as mulheres são educadas e conscientizadas, elas regulam a maternidade e o número de abortos cai enormente. Portanto, o dever do Estado e da sociedade é educar e conscientizar e não simplesmente condenar as mulheres que, sob pressões de toda ordem, praticam o aborto. É impiedade impor sofrimento a quem já sofre." (http://bit.ly/9XDgbN)

    ResponderExcluir
  80. Achei seu blog mt interessant e estou seguindo-o

    qnd pudr, de uma pssadinha no meu?

    bjoos


    http://cabecafeminina.blogspot.com

    ResponderExcluir